Do WordPress para o Ghost – Parte 02: Hospedagem

Do WordPress para o Ghost – Parte 02: Hospedagem

E agora continuo com a série que inicei no iMasters e vou falar um pouco sobre onde hospedar seus projetos Ghost.


No primeiro artigo sobre Ghost, contei um pouco da minha experiência com a mudança de plataforma. Foi uma grande quebra de paradigma profissional abandonar o WordPress depois de vários anos.

Na verdade, cheguei num ponto onde o WP estava sendo subutilizado, era o mesmo que matar uma formiga com uma bazuca. Tudo que preciso neste momento é de uma ferramenta que possibilite a publicação de conteúdos multimídias de forma simples e rápida. E o Ghost consegue fazer isso com maestria.

Para entender melhor o ecossistema deste novo publicador, fiz várias instalações limpas, em vários serviços de hospedagem e agora vou tentar falar um pouco destas experiências. Para simplificar, vou focar em apenas dois serviços: Heroku e Digital Ocean.

Como já trabalho há um bom tempo com estas duas empresas, não encontrei nenhuma grande dificuldade, pelo contrário, tudo foi muito simples. Minha escolha final foi baseada apenas em recursos que necessito e principalmente em custos.

Agora chega de delongas e vamos ao que interessa!

No primeiro artigo sobre Ghost, contei um pouco da minha experiência com a mudança de plataforma. Foi uma grande quebra de paradigma profissional abandonar o WordPress depois de vários anos.

Na verdade, cheguei num ponto onde o WP estava sendo subutilizado, era o mesmo que matar uma formiga com uma bazuca. Tudo que preciso neste momento é de uma ferramenta que possibilite a publicação de conteúdos multimídias de forma simples e rápida. E o Ghost consegue fazer isso com maestria.

Para entender melhor o ecossistema deste novo publicador, fiz várias instalações limpas, em vários serviços de hospedagem e agora vou tentar falar um pouco destas experiências. Para simplificar, vou focar em apenas dois serviços: Heroku e Digital Ocean.

Como já trabalho há um bom tempo com estas duas empresas, não encontrei nenhuma grande dificuldade, pelo contrário, tudo foi muito simples. Minha escolha final foi baseada apenas em recursos que necessito e principalmente em custos.

Agora chega de delongas e vamos ao que interessa!

Heroku – Deploy rápido

heroku

Fazer o deploy do Ghost na Heroku é a coisa mais simples do mundo. Existe um serviço chamado Ghost on Heroku que basicamente faz toda a instalação da aplicação automagicamente.

A única coisa que você precisa fazer antes, é criar uma APP na dashboard da Heroku, e depois finalizar as configurações de domínio. Do lado da aplicação é só criar um usuário admin e sair postando, sem crise, simples assim.

A manutenção do código é feita através do Heroku CLI e Git. Os comandos que você vai utilizar, basicamente, são: “heroku git:remote -a ” e os já bem conhecidos “git commit” e “git push”. Claro, com todos os parâmetros.

Fiz a instalação e configuração do Ghost em menos de 10 minutos. Gastei outros cinco minutos para configurar um domínio próprio, e enquanto não era propagado, utilizei uma URL provisória.

Tudo que fiz e falei aqui foi feito através de uma conta grátis na Heroku e o meu único gasto foi de tempo, o que também deve ser levado em consideração.

Recomendo a Heroku para quem quer testar o Ghost e ver como ele se comporta recebendo seus conteúdos. Outra coisa que pode ser um problema para quem não tem muita experiência com Git, é a forma como toda a atualização de código é realizada, mas isso é facilmente resolvido através de estudos. Um Dev nunca para de estudar.

Vale lembrar ainda que o custo pode ser bem baixo no inicio, mas se o seu site receber muitos acessos ou ficar famoso, pode ficar bem caro. Por isso, fique ligado sempre nas métricas que a Heroku disponibiliza. Para um projeto simples ou até mesmo Hobby, é mais do que recomendada.

Digital Ocean – A escolha final

digitalocean

Tudo bem, falei dos custos que hospedar uma aplicação na Heroku podem gerar e agora venho com Digital Ocean. Mas veja bem, criar uma VPS na DO é ainda muito barato, e talvez um dos melhores custos benefícios que existem.

Como na minha primeira experiência, aqui a instalação e configuração foram bem tranquilas. A DO possui um painel para instalação automágica também. É só escolher a aplicação, a região dos servidores e dar um nome ao droplet. Depois disso, basta acessar o servidor e configurar o Ghost.

Uma coisa chata aqui, foi que a versão instalada do Ghost era antigo e por isso tive que realizar o update. Apesar de chato, esta ação é muito rápida. Basta acessar a pasta onde os arquivos estão, e executar o comando “ghost update”. Em poucos minutos, a nova versão é baixada e está pronta para uso.

Outro comando importante é o “ghost setup”. Este comando gera todos os arquivos de configuração do Ghost e, no meu caso, do Nginx, além das configurações SSL, que aqui estou utilizando o serviço da Let’s Encrypt.

Acabei ficando com a Digital Ocean, mais pelo costume de já utilizar seus recursos do que qualquer outra coisa. Tenho total segurança de falar que se tivesse optado pela Heroku, estaria tão feliz quanto agora.

E os próximos passos?

Agora que tudo já está propagado e rodando de acordo, chegou a hora de novos desafios. Vou realizar uma instalação limpa do Ghost na Umbler, uma empresa brasileira que esta ganhando muitos adeptos.

Quem sabe o próximo artigo não seja contando minha experiência com eles?

Valeu por ler pessoal e deixem seus comentários com sugestões, perguntas e tudo mais!

Autor

Reinaldo Silotto

Community Manager GDG-Bauru, integrante do programa Intel Innovators e ganhador de 3 prêmios iBest com o site Emulando. Mantenedor e Founder do TekZoom. Community Manager no iMasters.

Brasil - São Paulo https://tekzoom.com.br Reinaldo Silotto Reinaldo Silotto

Mais conteúdos para você

Comentários