Clonagem de cartão: como se proteger de fraudes na internet

0 Comentários

Clonagem de cartão: como se proteger de fraudes na internet

Você está navegando pela internet, talvez vendo uma série ou, quem sabe, somente rolando a tela pela rede social para ver as novidades. De repente, surge um anúncio daquele exato produto que você estava pensando em comprar com um grande desconto. Você clica no anúncio, coloca seus dados para finalizar a compra e… alguns minutos depois, recebe um alerta no telefone avisando de uma compra feita em outro site, de outro valor e que não foi realizada por você. Infelizmente, seu cartão de crédito foi clonado.

Primeiro passo: como funciona a clonagem de cartão

A expressão “clonagem de cartão” abrange duas situações diferentes: a física, quando as informações do seu cartão (a tarjeta magnética) é copiada para um sistema, permitindo o uso por terceiros, e a virtual, quando hackers se utilizam dos dados necessários para fazer compras (número, nome, validade e código de segurança).

Crédito ou débito?

O Brasil ocupa a quinta posição no mundo no ranking de países com o problema da clonagem de cartões físicos.

No Rio de Janeiro, o tema é tão preocupante que a Secretaria de Turismo criou um manual para orientar turistas a se protegerem com medidas simples mas eficazes. Por exemplo: quando for digitar a senha, confira se é no lugar da senha mesmo. Algumas pessoas mal intencionadas entregam a maquininha com a tela no lugar do valor, fazendo com que a pessoa revele sua senha.

Outro ponto que está começando a aparecer é a instalação de malwares nessas máquinas, possibilitando o roubo das informações.

Se o seu cartão tem chip, isso dificulta muito a vida dos impostores, pois o chip reduz substancialmente as chances da clonagem física.

Caso você ainda não tenha um chip no cartão, é bom ficar alerta em caixas 24 horas e máquinas de pagamento, pois elas podem ter um leitor interno que copia os dados. Procure lugares de confiança e pense em solicitar ao seu banco um cartão com chip.

E na internet?

Já no cenário das compras virtuais, lidar com a segurança é uma tarefa um pouco mais complexa e que precisa de alguns cuidados extras.

Atualmente, no Brasil, a forma mais difundida de roubo de dados tem sido o uso de links falsos de sites de compras. O negócio funciona da seguinte forma: um anúncio de um produto que você estava procurando aparece, te levando para uma loja que você nunca ouviu falar mas que apresenta uma super promoção. Como você está empolgado, não percebe que o endereço da página não está em https e nem apresenta o cadeado, que configura uma conexão segura.

Isso é uma armadilha chamada phishing, que leva o consumidor a um site falso somente com o intuito de roubar os dados do cartão de crédito, já que para realizar compras virtuais são necessários somente os dados básicos do cartão.

Além de anúncios, esses links ardilosos podem também vir por e-mail. Então, uma primeira dica é comprar somente em sites de confiança e oficiais. Você também pode conferir a veracidade de lojas em sites como o Reclame Aqui (https://www.reclameaqui.com.br/), em que consumidores escrevem suas experiências com compras na internet.

Conexões abertas: cuidado!

Outra forma de roubo de dados está no uso de conexões abertas, como redes de Wi-fi públicas ou compartilhadas (em hotéis, shoppings, restaurantes, etc). Hackers se aproveitam da partilha de rede para surrupiar os dados do cartão de crédito.

O ideal seria utilizar somente redes privadas para fazer compras. Mas muitas vezes isso não é possível, pois você pode estar viajando, trabalhando na rua ou simplesmente navegando na internet pelo telefone em um restaurante quando decide comprar algo. Por isso, uma boa opção é proteger a sua conexão, independente de onde você esteja. Por exemplo, usando um VPN.

Por que usar uma VPN?

A rede privada virtual ou VPN é um sistema de acesso à internet em que você estabelece uma conexão própria dentro de qualquer rede Wi-fi. Dessa forma, mesmo utilizando uma Wi-fi pública (como em aeroportos ou em praças públicas de algumas cidades no exterior) você estará acessando uma rede em que outras pessoas não podem entrar.

Cartão virtual: o que é isso?

payment-4399011_1280

Atualmente, alguns bancos brasileiros vêm disponibilizando a opção do cartão virtual. Ele não é um outro cartão de crédito! Na prática, é somente um novo número que é gerado pelo seu banco a cada vez que você for fazer uma compra virtual. E esse número expira logo depois de você realizar a compra. Assim, mesmo que seus dados forem roubados virtualmente, eles não valerão de nada.

Me dei mal!

Mas, se depois de tudo isso, mesmo assim você cair na infelicidade de ter o cartão clonado, acione o quanto antes o seu banco.

Como a fraude online já é reconhecida como um problema grave no país, quase todos os bancos possuem a opção de contestar compras não reconhecidas pelo aplicativo no celular, no site ou pelo telefone.

E, se você desconfia que a clonagem ocorreu por meio físico, através de uma maquininha de crédito/débito, é sempre bom fazer um boletim de ocorrência registrando o furto, pois alguns bancos podem solicitar para fazer o ressarcimento do valor.

Depois de tudo isso, boas compras :-)